segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Resenha da Jé - Toda Poesia!

   Oi pessoal!

   Mais uma terça e mais uma resenha da Jé para vocês! =)


PAULO LEMINSKI – TODA POESIA



Olá, amigos! Como foi a semana de vocês?

Graças a Deus, a minha semana foi bem tranquila e não houve mais nenhum “peripaco” com meu computador e as resenhas poderão ser postadas normalmente hahaha!

O livro de hoje muitos de vocês já devem conhecer, pois ele está na lista dos “queridinhos do momento”. 

Como o próprio título já diz, “TODA POESIA” é a obra que contém todas as poesias escritas pelo grande autor Paulo Leminski.

Tenho percebido que cada vez mais, os autores brasileiros modernos vêm conquistando o seu espaço no mundo literário, e que cada vez mais os livros/filmes nacionais estão dentre os preferidos de nós, brasileiros, algo que não se era comum ver a alguns anos atrás.

Comprei este livro nas férias de Janeiro, enquanto esperava a conexão do voo no aeroporto de Campinas. Sempre quando viajo, procuro levar comigo um livro que ainda não comecei, e quando passo por uma livraria de aeroporto, nunca resisto e acabo levando algum comigo. Além de ser uma boa forma de distração durante o passeio, sempre marco a minha viagem com alguma história. E com esta obra de Paulo Leminski não foi diferente.

Tratando-se de poesia moderna (poesia moderna é aquela que não se estrutura necessariamente em algum padrão estipulado, como os sonetos, escreve-se o que a inspiração mandar, e da forma como ela mandar, sem compromisso com a grafia e a formatação poética), nenhum autor brasileiro conseguiu chegar aos pés de Leminski.

Com frases curtas, e de bastante impacto, Leminski retratou tudo que há de sentimento, fatos corriqueiros, música, reflexão, e até mesmo, em alguns deles, pequenos versos que nos fazem rir.

É um livro divino, suave, que apesar de ser “grosso”, ao terminar, parece aqueles filmes que, de tão bons, não mereciam acabar com um simples “fim”.

Li a obra por três vezes na minha viagem, e quando cheguei em Uberaba, doei-o a uma grande amiga (um beijo, Gi!), pois sabia que se assim eu não o fizesse, não conseguiria começar uma nova história.

Independentemente de você gostar de poesia ou não, vale a pena ler este livro, justamente por não se tratar de prosas e versos previsíveis, cheios de palavras grotescas e difíceis. Aqui se encontrará um autor que conversa por meio das palavras, que rima pra parecer canção, e que toca o nosso coração de alguma forma, pois não existe alma humana que passará por este livro sem se identificar com algo.

Um beijo para vocês e até semana que vem!

Jéjé.









   Um beijo e até a próxima resenha!

Nenhum comentário:

Postar um comentário